FENAJ apresenta relatório de aumento da violência contra jornalistas


Em 2018 Foram registrados 135 casos de agressões, atingindo 227 jornalistas, em comparação com o ano de 2017, quando houve 99 ocorrências, o aumento foi de 36,36%.

Assim a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) apresenta sexta, dia 18, seu Relatório da Violência contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa no Brasil – 2018, no auditório do Sindicato dos Jornalistas no Município do Rio de Janeiro, a partir das 14h.       

 

As agressões físicas foram a violência mais comum também em 2018. Foram 33 casos, que vitimaram 58 profissionais, contra 29 ocorrências em 2017 (13,79% a mais). Mas houve grande crescimento no número de casos de agressões verbais (aumentaram mais de 100%, em comparação com o ano anterior), ameaças/intimidações (cresceram cerca de 87%) e impedimentos ao exercício profissional.

Além do número geral de casos de violência ter crescido, o jornalista Ueliton Bayer Brizon, foi assassinado, em Rondônia. Também houve aumento no número de assassinatos de outros profissionais da comunicação, como quatro radialistas que perderam a vida, entre eles Jairo Souza (Pará), Jeferson Pureza Lopes (Goiás), Marlon Carvalho de Araújo (Bahia) e Severino Faustino, conhecido como Sílvio Neto (Paraíba).

LANÇAMENTO DO RELATÓRIO DA VIOLÊNCIA CONTRA JORNALISTAS E LIBERDADE DE IMPRENSA NO BRASIL – 2018

Auditório do Sindicato dos Jornalistas no Município do Rio de Janeiro – Rua Evaristo da Veiga, nº 16, Centro. Rio de Janeiro.18 de janeiro (sexta), 14 horas.

Twitters