Depressão: final do ano pode desencadear sintomas

O ano está acabando e algumas pessoas sentem uma espécie de desânimo e tristeza por não ter realizado o que desejavam. É um sentimento normal. Porém o grande problema é quando não há uma causa para este sentimento, ele começa a virar uma ansiedade e promove efeitos no organismo. Muitas pessoas usam o termo ‘Depressão’ deforma banal, mas não é bem assim, há que saber diferenciar.

– Tristeza tem uma causa, é desencadeada por uma perda, seja de um emprego, de um filho, de um amor etc. Mas a ansiedade é uma sensação de receio e apreensão, sem causa evidente com taquicardia, sudorese, medo de morrer, de ficar louco, de perder o autocontrole, de ficar sozinho. Já na depressão o indivíduo perde a capacidade de experimentar o prazer, tem dificuldades para fazer as coisas triviais –explica a Psiquiatra Mara Pereira Nunes.

Conforme o grau da Depressão o paciente tem sentimentos de culpa e de fracasso. Muitos dizem que sentem um vazio, mesmo quando as coisas estão bem. “há relatos em que a pessoa diz sentir-se preso e tenta o suicídio, sem causa específica” – conta a Dra. Mara

Atualmente crianças e jovens sofrem de depressão devido à pressão pessoal, de colegas e da própria família para que atinjam objetivos o mais rapidamente possível,“exigindo o tempo e a paciência que eles não querem ofertar. Isto ocasiona frustração e ansiedade” – observa Mara Pereira Nunes. Num mundo digital o isolamento é grande.

– Por conta do tempo que ficam frente ao computador e aos videogames, sem nenhum contato social elas tornam-se exclusivistas e assim as novas mídias contribuem para a depressão pela  cobrança de  uma felicidade e sucesso permanentes, o que não acontece na realidade – analisa a Psiquiatra.

Por ser uma condição debilitante é fundamental procurar ajuda de um psiquiatra, que irá acompanhar o caso e de acordo com a situação prescrever o uso de antidepressivos ansiolíticos e psicoterapia, como lembra a médica. No entanto a colaboração e compreensão de amigos e familiares e muito importante.

– Muitas vezes a família e os amigos não entendem a doença e acham que é preguiça ou falta do que fazer e que a pessoa tem de sair do quadro depressivo por ele mesmo.Deve-se analisar pois o paciente pode precisar de ajuda – conta a Dra. Mara.


CONTATO -Dra. Mara Pereira Nunes – Psiquiatra – 
CRM RJ:5230897-7 
Tels 3172 4673 / 99801 0694 Whatsapp

Twitters