fbpx
Empreendedorismo Investimentos

Dropshipping nacional

Todos os anos a mesma dúvida se repete: será que ainda vale a pena fazer dropshipping? A técnica que costuma importar produtos da China e enviar diretamente para o cliente está sempre atraindo interessados. No entanto, devido à pandemia de Covid-19, importações daquele lado do mundo, se já não eram, ficaram realmente difíceis. A alternativa, conhecida como dropshipping nacional, pode ser um lado ainda pouco conhecido pelos empreendedores brasileiros.

Dropshipping nacional

Como funciona o dropshipping nacional?

De forma resumida, o trabalho de intermediação entre fornecedor e cliente é exatamente o mesmo do dropshipping tradicional ou internacional. A diferença está na fonte: são utilizados fornecedores brasileiros, reduzindo o tempo de espera e as chances de que ocorra um problema. Na crise atual, é uma alternativa muito mais segura, devido às incertezas mundiais, especialmente na Ásia.

Embora pareça simples, há detalhes sobre o funcionamento do dropshipping nacional que exigem mais atenção. O nosso foco aqui será na comparação entre o modelo tradicional e o que limita as fronteiras ao nosso Brasil.

Que motivos levaram dropshippers a optar por esse modelo?

dropshipping nacional 2

Em um cenário pré-pandêmico, os artigos enviados da China dominavam o mercado de dropshipping. Depois, como origem e, por muito tempo, principal área de contágio pela Covid-19, o país passou a ser motivo de preocupação mundial. Os produtos que chegavam a demorar de 40 dias a 3 meses para chegar aos clientes poderiam levar muito mais tempo, resultando em perdas e devoluções indesejadas.

Portanto, exclusivamente pela crise, as importações vindas da China representam um risco que pode não compensar o lucro pelos produtos baratos. A outra alternativa utilizada no modelo tradicional, a importação de países da Europa, deixou de ser interessante pelo mesmo motivo. Como agravante, os produtos do continente europeu nunca resultaram em uma boa margem de lucro por seus altos preços.

Como único lado positivo, o longo período de entrega inviabiliza a sobrevivência do vírus. Caso essa fosse a única preocupação e não existisse o risco de atraso nos envios, muitos não precisariam mudar suas estratégias. Por fim, a crise também foi responsável pelo aumento da cotação de muitas moedas. Sendo o dólar a moeda utilizada pelos fornecedores, as compras baratas que antes compensavam o baixo preço que atraía clientes no Brasil passaram a oferecer menor lucro.

Dropshipping nacional 3

Quais são as vantagens e desvantagens do dropshipping nacional?

Se o dropshipping nacional é uma alternativa às importações afetadas pela crise, é essencial saber quais são suas vantagens e desvantagens. Seguindo com o que foi mencionado no tópico anterior, podemos listar os seguintes benefícios:

  • Menor tempo do envio à chegada do produto na casa do cliente – produtos vindos de dentro do Brasil.
  • Custo em reais – não se altera pela variação diária do câmbio.
  • Menor burocracia – realizar o dropshipping internacional de forma legal pode ser complexo.
  • Sem pagamento de taxas e impostos por importação.

Por outro lado, o modelo nacional que tem sido uma forma de sobrevivência de negócios desse tipo na crise também possui desvantagens:

  • Preços não tão baixos quanto os chineses.
  • Concorrência direta com lojas brasileiras e grandes marketplaces (Magazine Luíza, Lojas Americanas, etc.).
  • Produtos menos exclusivos ou inovadores.

Fica claro que, apesar de o dropshipping nacional ser uma alternativa viável nesse momento, ele também possui seus pontos negativos. A melhor opção é planejar com cuidado, como deve acontecer em todo empreendimento, e talvez dividir os riscos utilizando ambas as abordagens. Manter-se sempre atento às mais recentes notícias também é o ideal, para reformular a estratégia atual, caso seja necessário.

Gostou da matéria? Compartilhe o Rionotícias em suas Redes Sociais.

Rio Notícias

Adicionar comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Clip da Semana