Hipotireoidismo atinge cerca de 2 milhões de pessoas

Problemas comuns no Brasil o hipotireoidismo e o hipertireoidismo são alterações nas glândulas tireoide que podem causar doenças cardíacas. O cardiologista Ênio Usíglio explica que a glândula se localiza na região abaixo do pescoço e atua no funcionamento de órgãos importantes como o coração, cérebro, fígado e rins. A tireoide, também, possui um papel importante no crescimento e desenvolvimento das crianças e adolescentes, regulação dos ciclos menstruais, na fertilidade, no peso, na memória, na concentração, no humor, e no controle emocional.

De acordo com o  membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC),  tanto o hipotireoidismo quanto o hipertireoidismo aumentam os riscos de complicações cardiovasculares.

– O hipertireoidismo, por exemplo, resulta no aumento da frequência cardíaca em repouso, podendo acarretar em arritmias e aumento da pressão arterial. Já o hipotireoidismo pode resultar em diminuição da frequência cardíaca, edema (inchaço nas pernas e na face), acúmulo de líquido na membrana que envolve o coração (líquido pericárdico) e também elevação dos níveis de pressão arterial – esclarece o Dr. Ênio Usíglio

Na condição do hipertireoidismo todo o metabolismo fica acelerado e pode fazer com que o paciente apresente tremores, ansiedade, suor excessivo, e emagrecimento. Já no hipotireoidismo, todo o organismo funciona de forma mais lenta e gera cansaço, sonolência, sensação de frio e aumento de peso. É muito importante para o diagnóstico um  avaliação médica, que é feita com base em sinais, sintomas e exames laboratoriais.

Twitters