Talita Furtado - Travel designer Turismo & Lazer

O retorno pós pandemia – a grande chance do turismo nacional

Desde que os primeiros casos de Covid-19 foram noticiados na China em janeiro, o que passamos a ver foi uma sequência de notícias impactantes, principalmente para quem, como eu, trabalha com turismo. Voos cancelados, hotéis desmarcados, navios parados em portos repletos de passageiros, enfim, o caos instalado como nunca se viu antes! A primeira reação das pessoas foi de uma perplexidade quase estática. Não se sabia o que fazer, pois afinal de contas era uma situação nunca vivida anteriormente e jamais imaginada por qualquer profissional do assunto.

Passado o primeiro susto, o que vimos a partir daí foi uma imensa rede de solidariedade com turistas e profissionais do setor, todos tentando se ajudar mutuamente, pois nesse ponto já havíamos chegado à conclusão que o problema era global e que ninguém, sem exceção, sairia ileso dessa, infelizmente.

Antes de programar, ou reagendar uma viagem internacional nesse momento, temos que considerar fatores que anteriormente não eram nem considerados dentro do planejamento e percebemos que a retomada do internacional será mais lenta e demorada, pois precisamos considerar pontos como a malha aérea, principalmente a internacional que irá se encolher, o câmbio das moedas estrangeiras que não está nada favorável para o turista brasileiro, a incerteza do fechamento de fronteiras de vários países de acordo com a situação da pandemia, como vimos o que aconteceu com o decreto dos EUA para a entrada de turistas brasileiros, as barreiras sanitárias ou exigências de novas documentações e vacinas para visitantes, dentre outros.

Levando-se em conta os fatores acima e outros inúmeros que não listei, o que passamos a vivenciar a partir de agora será um mundo com um “novo normal” como se diz por aí… Como já era de se esperar, o cenário caótico trouxe muitas incertezas e dúvidas, mas acredito que agora, passados quase 4 meses desde que tudo se deu início, a grande nuvem começa a se dissipar e um novo cenário surge trazendo novas ideias e esperanças para nosso setor.

O turismo interno, apesar de estar ainda sofrendo as consequências de quase 4 meses parado, e sem ainda ter a certeza da data de reabertura, quando retomar, terá um “boom”. Famílias estão trancadas em casa há meses, esperando ansiosamente pelo dia que terão a oportunidade de passear em algum lugar fora de suas casas.

Ao longo de todos esses meses, venho contactando vários hotéis e percebi que a maioria deles está se preparando para o que vem pela frente. Muitos aproveitaram os meses de desocupação e estão renovando as instalações, fazendo pequenas reformas e atualizações, e se adequando ao “admirável mundo novo”. Vejo isso como um ponto extremamente positivo e percebo que a nossa rede hoteleira está ligada na grande oportunidade que vem pela frente. Novas medidas de operações e modificações nas rotinas sanitárias estão sendo implementadas para que os hóspedes se sintam seguros e possam aproveitar com tranquilidade dias de descanso e lazer.

Dentre as novas medidas, gostaria de ressaltar algumas que achei bem interessantes como a medição de temperatura de clientes e funcionários na chegada e antes das refeições (incluindo também crianças na entrada para os espaços infantis, quando o hotel dispuser dessa facilidade), preenchimento de ficha obrigatória de saúde com informações relacionadas à sua saúde, pré agendamento para uso de academias e espaços “zens” ou spas, aumento significativo da frequência de limpeza de áreas comuns, refeições sem a opção de buffet e com maior distanciamento entre as mesas, etc.

Enfim, percebi que a indústria do turismo no Brasil já enxerga hoje uma luz no fim do túnel e tenta rapidamente se colocar de uma forma mais segura e eficiente para que a retomada seja rápida e traga bons resultados para o nosso turismo. Enxergo nesse posicionamento tanto da indústria, como dos clientes finais, um grande esforço e uma boa vontade em fazer com que tudo volte ao “novo normal”.

Quem sabe essa não era a tão esperada virada que o nosso turismo precisava para que o brasileiro passasse a conhecer mais o próprio país? Agora, o que nos resta é torcer para que tudo dê certo e esperar mais um pouco até que tudo isso passe e que possamos enfim aproveitar as inúmeras possibilidades que nos aguarda.

por: Talita Furtado


Talita Furtado é proprietária e Travel Designer do Atelier de Viagem, formada em Administração de Empresas em San Francisco CA onde trabalhou durante 8 anos em turismo para toda a região da Bay Area. Em 2007 retornou ao Brasil a convite do Comité Organizador dos Jogos Pan Americanos do Rio de Janeiro. Logo após, foi trabalhar em uma multinacional na área de eventos e viagens e em 2018 abriu junto com mais 2 sócias a Agencia Atelier de Viagem.
Para Maiores informações, Clique Aqui e fale com a Talita!

Acesse nossas redes sociais…
insta_icon_1facebook-3